ESG – Entenda o que é e por que é tão importante para a Indústria

Muito mais do que beneficiar indústrias do ponto de vista produtivo ou financeiro, a adoção de práticas ESG e de medidas sustentáveis atende uma necessidade da sociedade.

A sigla ESG apareceu pela primeira vez em 2005, em um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) intitulado “Who Cares Wins”.

A conclusão que o documento chega é que impulsionar discussões sobre questões ambientais, sociais e de governança no mercado financeiro é uma boa forma de impactar também os demais, para que se tornem mais sustentáveis e possam trazer melhores resultados para a sociedade.

Conforme o assunto foi ganhando visibilidade, percebeu-se que, ao contrário do que era tido como verdade até então, empresas podem ter bons resultados financeiros operando de forma sustentável e que boas práticas de cuidado ambiental, responsabilidade social e governança também podem colaborar com seu caixa.

Aliás, uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva e a consultoria CAUSE, mostrou que 48% dos entrevistados em 2022 preferem produtos de empresas que apoiam causas sociais e ambientais e, ao somar quem respondeu que às vezes prefere marcas envolvidas com essas questões, o total sobe para 85%.

Levando todos esses pontos em consideração, fica fácil entender porque a sigla ESG está se tornando cada vez mais popular e importante.

Continue a leitura para saber o que o termo significa, qual é o processo para implementar suas práticas nas empresas e como elas podem beneficiar significativamente o segmento industrial.

O que é ESG?

ESG é a sigla de “Environmental, Social and Governance” ou, em português, “Ambiental, Social e Governança”, que se refere às práticas associadas a essas questões dentro de uma empresa.

Quando um negócio implementa práticas ESG, isso quer dizer que está buscando formas de reduzir seus impactos ambientais através de práticas sustentáveis, de agir com responsabilidade perante a sociedade e manter boas práticas administrativas.
Mas, para que você compreenda a amplitude do conceito, vamos explicar o que representa cada letra dessa sigla:

  • Environmental (ambiental, em português): se refere às práticas adotadas pela empresa que buscam minimizar seus impactos ambientais, considerando pontos como a emissão de carbono, poluição da água e do ar, gestão de resíduos etc.
  • Social: se refere às relações da empresa com o seu público de interesse e stakeholders em geral, inclusive a comunidade que está ao seu redor. Diz respeito a questões imprescindíveis para a reputação e cumprimento de normas de um negócio, como relações trabalhistas, programas de diversidade e inclusão, satisfação dos clientes e funcionários etc.
  • Governance (governança, em português): está relacionada às políticas e práticas internas da empresa para tomadas de decisões administrativas dentro da legalidade. É ela que fica responsável pela fiscalização dos dois tópicos anteriores, por exemplo, além de analisar a conduta corporativa, remuneração do alto escalão, relacionamento com o governo etc.

Como implementar a agenda ESG nas empresas?

Qualquer empresa pode implementar a agenda ESG, inclusive as indústrias, independentemente do seu segmento, desde que haja uma verdadeira reestruturação interna, que caminhe lado a lado com sua missão e valores. Só assim seu impacto será tão benéfico quanto possível para o próprio negócio e também para a sociedade.

A partir do momento que uma empresa adota as práticas ESG, seu sucesso deixa de ser mensurado apenas pelos resultados financeiros e também considera aspectos como responsabilidade, ética e transparência.

Confira tópicos fundamentais para planejar e implementar uma agenda ESG no ambiente corporativo:

1. O envolvimento de todos os stakeholders é fundamental

A gestão deve estudar a fundo as práticas ESG para ter embasamento durante sua implementação. Os diversos públicos, como parceiros, fornecedores e colaboradores, por sua vez, podem fazer parte de comitês que realizem discussões e contribuam para o assunto.

Uma vez que todos os stakeholders estão participando do processo, as ações da empresa estarão, de fato, alinhadas às questões sociais, ambientais e de governança.

2. Faça um mapeamento da situação atual da empresa

Uma análise do contexto da empresa é fundamental. É preciso conhecer a fundo os parceiros, fornecedores e clientes para identificar seus impactos e, assim, poder agir para minimizar os negativos e alavancar os positivos.

Além disso, durante esse estudo, é possível identificar oportunidades de melhoria dentro das práticas ESG que estão sendo implementadas. A partir daí, fica mais fácil definir metas para alcançar determinados objetivos, saber quais desafios precisam ser superados e quais soluções poderão ajudar a organização nessa jornada.

3. As práticas ESG devem estar integradas ao orçamento

Na hora de estabelecer as metas e objetivos que citamos no tópico anterior, é imprescindível considerar o orçamento da empresa.

A implementação de práticas ESG inclui gastos financeiros no início e, estando ciente e com um planejamento para isso, a organização estará preparada para tirar seus planos do papel.

4. ESG é um processo contínuo

Investir na agenda ESG traz benefícios tanto para a sua empresa quanto para a sociedade, mas um bom planejamento e execução de cada passo são fundamentais para ter bons resultados.

Principalmente no início, as ações ESG podem parecer complexas ou abstratas, mas a partir do momento em que todo o público relacionado à empresa está envolvido e consciente, as práticas se tornam tangíveis.

Como as práticas ESG beneficiam as indústrias

Muito mais do que beneficiar indústrias do ponto de vista produtivo ou financeiro, a adoção de práticas ESG e de medidas sustentáveis atende uma necessidade da sociedade.

Mas, falando especificamente das atividades fabris, a agenda ESG traz inúmeras vantagens. Hoje, vamos abordar as principais.

No início deste artigo, falamos sobre a preferência do consumidor em adquirir produtos de empresas que apoiam causas sociais e ambientais e este é um claro benefício da adoção de práticas ESG. Além de fidelizar os clientes que valorizam esse tipo de posicionamento, a reputação da organização é elevada perante o público geral.

Essa imagem positiva também impacta a contratação e retenção de colaboradores, que se sentem mais satisfeitos com a organização em que trabalham e, graças à diversidade social, sabem que suas opiniões e pontos de vista diferentes serão valorizados e podem contribuir positivamente para as tomadas de decisão da empresa.

Em relação aos trâmites operacionais e burocráticos, os ganhos também são significativos. Isso porque adotar práticas ESG colabora para que uma indústria trabalhe dentro das normas regulatórias e legais e, assim, ganhe vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes no longo prazo.

Agora, vamos falar sobre três benefícios que se destacam nessa lista: redução de custos operacionais, aumento da produtividade e diminuição de danos ambientais. Tudo isso pode ser alcançado com a implantação da agenda ESG e com o apoio de tecnologias disruptivas.

Imagine, por exemplo, que uma empresa que tem estações de tratamento de água ou efluentes, pode utilizar o caça-vazamentos B-Aware, desenvolvido pela BirminD, para identificar escapes dessas substâncias na rede em tempo real e automaticamente. Soluções como essa, que utilizam a Inteligência Artificial, são uma ótima forma de dar o primeiro passo rumo às práticas ESG na indústria.

Com o B-Aware, a detecção de anomalias é feita com agilidade, baseada em dados capturados e analisados em tempo real. Essa visibilidade e eficiência na identificação de vazamentos permite que correções sejam feitas em um prazo muito mais curto e os desperdícios de água e outros recursos diminuem, reduzindo também os impactos ambientais.

Implementar práticas ESG na indústria é trilhar uma jornada de eficiência e redução de impactos ambientais. Conheça as soluções da BirminD e saiba como podemos facilitar essa transformação.

Você pode gostar...